Acesse Cadastre-se

Boas Práticas

Conheça o nosso banco de boas práticas em gestão pública, composto por experiências mapeadas em diversos estados e municípios brasileiros.

Casos de Sucesso

Educação
Educação; Básica; Minas Gerais; Crianças; Alfabetização; PIP; Janaúba Caso de Sucesso
Programa de Intervenção Pedagógica (PIP)

Público Alvo

Alunos da rede pública do município.

Objetivos

O Programa tem como objetivo melhorar o aprendizado dos alunos do ensino fundamental em relação à leitura e à escrita.

Como funciona

O Programa de Intervenção Pedagógica (PIP) contou com ações voltadas à melhoria dos padrões de leitura e escrita de crianças de até 8 anos de idade.

O Programa inclui um trabalho permanente de visitas e acompanhamento nas escolas para possibilitar avanços na gestão pedagógica, propor estratégias de intervenção, apoiar os professores e, assim, garantir a aprendizagem dos alunos no tempo certo.


Os cinco principais pilares do PIP são ilustrados abaixo:


Figura 1. Pilares do Programa de Intervenção Pedagógica ATC. Elaboração própria a partir de Governo de Minas Gerais.


As ações do PIP baseiam-se em 4 passos:

1. Avaliação diagnóstica dos alunos: O desempenho dos alunos do 1º ao 5º ano em leitura e escrita é avaliado.

2. Plano de Intervenção Pedagógica: Os analistas pedagógicos contratados/alocados e capacitados exclusivamente para o Programa e as equipes escolares elaboram um Plano de Intervenção para os alunos com baixo desempenho.

3. Aulas de reforço: Os alunos recebem reforço específico dentro e fora da sala de aula até superar suas dificuldades.

4. Acompanhamento e orientação: Analistas pedagógicos visitam as escolas e trabalham junto com as equipes escolares.

Resultados

O Governo de Minas Gerais criou o PIP em 2008 como resposta ao baixo desempenho dos alunos: a avaliação Proalfa mostrou que em 2006, somente 48,6% dos alunos do 3º ano do ensino fundamental atingiram o nível recomendado de proficiência em leitura e escrita. 

Em 2011, após três anos de execução, os resultados do Proalfa apontaram que 88,9% dos alunos apresentavam índices recomendáveis de leitura e escrita, um aumento de 40,3 pontos percentuais na quantidade de alunos no nível recomendado.

Segundo o Proalfa, em 2014, 95,8% dos alunos da rede estadual de Minas Gerais estavam no nível recomendado. Devido ao seu sucesso, a proposta foi expandida dos anos iniciais também para os anos finais do ensino fundamental. 

Em Janaúba, os resultados da ANA – Avaliação Nacional da Alfabetização, realizado anualmente pelo Governo Federal, apontaram avanços significativos: em 2013, 53,22% dos alunos estavam nos níveis 3 e 4 de proficiência e 12,6% estavam no nível mais baixo.

Em 2014, a proporção de alunos nos níveis 3 e 4 avançou para 58,3% e apenas 7,18% estavam no nível baixo. Em 2013, Janaúba possuía mais alunos no nível mais baixo do que a média do estado de Minas Gerais. Em 2014, o percentual já ficou abaixo da média estadual.

Implantação

Início
2008